app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

CULTURA DA DENÚNCIA

.

Por Editorial | Edição do dia 24/11/2021 - Matéria atualizada em 23/11/2021 às 22h33

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos lançou, no fim de semana, uma campanha alertando para os risco do feminicídio. Com o slogan “Violência contra a mulher: sua evolução leva ao feminicídio. Observe os sinais. Denuncie”, a campanha nacional abrange a produção de vídeos, spots para uso em rádio comunitárias e parceiras, cards educativos, enquetes interativas destinadas às redes sociais, cartazes, fôlderes e outras peças de cunho publicitário. O objetivo é estimular a cultura da denúncia.

O Ligue 180, a Central de Atendimento à Mulher, é uma das principais ferramentas para iniciar o acionamento de toda a rede de proteção às pessoas em situação de violência. No que se refere aos números do Ligue 180, apenas de julho do ano passado a novembro deste ano, mais de 97,4 mil denúncias de violência doméstica e familiar contra a mulher foram registradas. Outras violações somaram mais de 24,5 mil casos no período. De acordo com o Código Penal brasileiro, o feminicídio consiste no assassinato cometido em razão do sexo feminino, é quando o crime envolve violência doméstica e familiar ou menosprezo e discriminação à condição de mulher. Segundo especialistas, entre os fatores de risco para o feminicídio estão o isolamento social, a ausência de rede de serviços de saúde e proteção social bem estruturada e integrada, a pouca consciência de direitos, histórico de violência familiar, transtornos mentais, uso abusivo de bebidas e drogas, dependência afetiva e econômica, presença de padrões de comportamento muito rígidos, exclusão do mercado de trabalho, deficiências e vulnerabilidades. Em meio ao isolamento social, o Brasil contabilizou 1.350 casos de feminicídio em 2020 - um a cada seis horas e meia. O número é 0,7% maior comparado ao total de 2019. Ao mesmo tempo, o registro em delegacias de outros crimes contra as mulheres caiu no período, embora haja sinais de que a violência doméstica, na verdade, pode ter aumentado. O feminicídio é um problema muito sério que deve ser denunciado e combatido com rigor. Além disso, é preciso investir em campanhas educativas para gerar uma cultura de paz na sociedade.

Mais matérias
desta edição