app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

AVIÃO DA FAB TRAZ FÍGADO DA PARAÍBA PARA TRANSPLANTE EM MACEIÓ

Paciente, que não teve identidade divulgada, é adolescente do interior, tinha cirrose autoimune e aguardava órgão havia dois meses

Por Hebert Borges | Edição do dia 03/12/2021 - Matéria atualizada em 02/12/2021 às 22h51

Para salvar a vida de um adolescente alagoano de 16 anos, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) foi mobilizado, na madrugada de ontem, para transportar um fígado de Campina Grande, na Paraíba, para Maceió, em Alagoas. O órgão foi transplantado para o adolescente na manhã de ontem, na Santa Casa de Misericórdia de Maceió, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o médico Oscar Ferro, o procedimento foi um sucesso. O jovem, que não teve a identidade divulgada, é do interior do Estado, tinha cirrose autoimune e aguardava pelo órgão havia dois meses.

Para realizar o transporte, a FAB disponibilizou uma aeronave modelo U-100 Phenom. Um decreto de 2016 determinou que a corporação mantenha uma aeronave permanentemente disponível para levar órgãos ou tecidos até o local onde está o receptor. Em muitos casos, o transporte é fundamental para que o transplante aconteça.

O acionamento de uma aeronave ocorre de acordo com a demanda repassada pelo Ministério da Saúde (MS), que coordena o Sistema Nacional de Transplantes. A partir de então, é ativada uma cadeia de eventos. É preciso checar as condições de pouso no aeroporto de destino, acionar a tripulação e avisar ao controle de tráfego aéreo que se trata do transporte de órgãos, o que dá ao avião prioridade para pouso e decolagem.

O procedimento de ontem é o terceiro transplante de fígado da história de Alagoas, todos deste ano pelo SUS. O médico Oscar Ferro reforça a importância da doação. Segundo ele, o fígado que salvou a vida deste paciente foi de um jovem de 20 anos. Ferro informou que seis pessoas estão na fila de espera por um fígado em Alagoas. Ele conta que há relutância entre os alagoanos para fazer a doação, que é um processo seguro e que salva vidas.

Mais matérias
desta edição